LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

31 de agosto de 2011

Molde de bolsa na Manequim de setembro

 Este mês tem molde de bolsa na Manequim.
 É um modelo de  carteira ou como andam chamando por aí: clutch.

No site da Manequim tem um passo a passo de como fazer.
Confesso que pra mim não adiantou muito nem o PAP do site nem a receita na revista.
Alguém se habilita?

Gostou?
Colabora com o blog apertando o +1 aí embaixo.

Série tecidos para bolsas - forros

Último dia de agosto, último post da Série tecidos para bolsas, e hoje vou falar de forros.
Se tiver dúvidas sobre como os tecidos são feitos ou sobre o material de composição, acesse os respectivos links.
Atualmente eu uso tricoline para forro em quase todas as peças, mas já usei outros materiais:

Failete:
Tecido fino com desenho tafetá, de sedaacetato ou poliéster, utilizado geralmente para forro. (http://www.engetextil.com.br/engetextil.htm#53)

Fonte: http://www.casadotule.com.br/produtos[54].asp

Minhas considerações:
Vantagens:
Mas é bem mais barato que o tricoline.

Desvantagens:
Minhas experiências com este material mostraram que ele não tem vida útil muito longa como forro de bolsas, como o uso é mais desgastante que se usado como forro de roupas, ele pui facilmente, principalmente nas costuras e na área de aplicação dos botões de pressão ou magnéticos.
Outro ponto desfavorável na minha opinião é que ele desfia muito e é muito liso, dá um certo trabalho para costurar.

Trabalho meu com este forro:
Postagem original - com molde.

Postagem original - com molde.

Postagem original.


Cetim:

Fonte: http://www.casadotule.com.br/produtos%5B52%5D.asp

Vantagens (sob a minha ótica):
O cetim vendido para forro é bem mais barato que o tricoline.
O acabamento acetinado valoriza carteiras e bolsas de festa.

Desvantagens:
Tecido muito liso, dá certo trabalho para cortar e costurar, demandando alinhavo para ficar com costuras perfeitas.

Bolsas com este forro:
Postagem original.

Postagem original.

TNT:
TNT - Tecido não Tecido
Fonte: http://www.trdistribuidora.com.br/tnt-tecido-nao-tecido.php

Algumas revistas de bolsas indicam TNT para ser usado como forro. Acho que desvaloriza muito o artesanato este tipo de material. Não consigo conceber usar TNT como forro em uma bolsa de patchwork ou mesmo tecido de forração.
Mesmo assim, segue a definição do material:


TNT é uma sigla usada para definir tecido não tecido, muito usado atualmente para confecções têxteis. É um tecido não tecido por que é produzido a partir de fibras desorientadas que são aglomeradas e fixadas, não passando pelos processos têxteis que outros tecidos passam. Ou seja, o tecido não tecido não passa por processo de fiação ou de tecelagem.
TNT é muito fácil de ser trabalhado manualmente, podendo ser usado com cola, cola relevo, purpurina, lápis de cor, giz de cera, e outros materiais.
Um cuidado importante é que o tecido não tecido não deve ser usado com cola quente, pois ela pode furar o TNT. Outro detalhe é que o TNT não pode ser amassado, pois não pode ser desamassado. A utilização de ferros de passar podem queimar o TNT.

Gostou?
Colabora com o blog e aperta o botão +1 aí embaixo.

30 de agosto de 2011

Porta esmaltes

Acho que pela inclusão da assunto esmaltes aqui no blog já deu pra perceber que eu sou louca pelos vidrinhos, né?
Andei pensando e pesquisando e resolvi fazer meu próprio Porta esmaltes, como eu precisava - prático pra levar na bolsa.


O que serve nele:
5 vidrinhos de esmalte
alicate
lixa e palito 
pinça (não é pras unhas mas sempre útil)

Visto de cima:


Gostou?
Colabora com o Blog e aperta o botão +1 aí embaixo.

Esmaltes - apaixonada da Ludurana

Nas minhas andanças pelo Cruzeiro, onde moro, descobri uma lojinha de variedades que vende marcas de esmalte difíceis de achar aqui em Brasília.
Entre as marcas tinha um montão de coisas da Ludurana e este verde lindo, comprei!


Usei por uma semana sem lascar (mas com o roxinho da Colorama).
Fácil de passar e de limpar.
Duas camadas cobrem muito bem.



Fiche técnica:
Marca: Ludurana
Nome: Apaixonada
Cor: num tom de verde berilo
Efeito: cremoso


Esclarecendo minha escolha de nome de cor:

Berilo
Assim como a esmeralda e água-marinha o berilo é do mesmo grupo ou família, é uma gema que pode ter várias cores, como o transparente, amarelo, verde e rosa. Sua composição é de silicato de alumínio e berilo.
Jazidas: os principais centros de extração do berilo é no Brasil, mas também pode ser encontrado nos EUA, na África, Austrália e Índia.
Cuidados com o seu berilo: tal como para as restantes gemas, temos que as proteger de riscos e de temperaturas elevadas, pois apesar de ser uma pedra resistente devemos ter cuidados para não danifica-la e não arranha-la.
Curiosidades: o berilo é o irmão da esmeralda e da água-marinha, por serem praticamente da mesma formação, isso faz com que eles sejam tão apreciados para serem usados em jóias finas, o berilo é uma gema muito magnetizante para trazer forças positivas e muito usadas por quem deseja ter sorte em jogos.

Gostou?
Colabora com o blog e aperta o botão +1 aí embaixo.

29 de agosto de 2011

PAP - desfazendo meada

Este é o último post da Série lãs e linhas, e hoje vou mostrar como eu desfaço meadas.
Algumas lãs bem grossas vendidas hoje vem embaladas desta forma.
Recentemente usei a lã Ponto Alto da Aslan e a lã Shok da Cisne que vinham em meadas.
Assim, para ajudar aquelas que ainda não desenvolveram uma técnica eficiente para desfazer o novelo, ensino a minha:

Novelo da lã Ponto Alto da Aslan.


Sem o rótulo.
Cortei o fio que segura a meada e o nó feito com a própria lã no mesmo intuito.

Solicitei a colaboração do meu modelo (busto) fotográfico e coloquei a lã ao redor do pescoço.
Você vai precisar de um local pra enrolar o fio, eu usei papelão e recortei um de tamanho grande, já que a lã ocupa espaço.

Agora é só desenrolar do pescoço do modelo e enrolar no papelão. 

Pronto.
Foi útil?
Deixe um comentário.
Gostou? Deixe sua contribuição clicando no botão +1 aí embaixo.

Colete branco em crochê

Muito tempo atrás eu comecei este colete, mas ele foi ficando, ficando e acabei guardando com os fios e nunca mais vi.
Mês passado resolvi acabá-lo, pra aproveitar a onda de crochê que está no ar, como eu falei aqui.


Usei 3 novelos de Anne (sempre com fio duplo) e agulha de 3,5mm.
 A receita eu posto assim que puder escaneá-la.

Gostou?
Colabora com o blog e aperta o botão +1 aí embaixo.

28 de agosto de 2011

PAP - Como montar uma bolsa usando sanduiche

Quando comecei a costurar tive um certo trabalho pra entender como funcionava o tal do sanduíche.
Passado algum tempo, hoje tiro de letra, até quando o molde é meio esquisito.
Pra mostrar pra vocês, trouxe dois exemplos:
1. Uma bolsa simples, de gato, que já tem PAP de partes dela no blog - da alça, da costura do fundo, e colocando o botão de ímã.
Todas estas partes prontas, chaga a hora do sanduíche:
Com o lado certo da bolsa para fora, posicione as alças onde deverão ser costuradas e prenda com alfinetes.

Vista a bolsa com o forro, com o lado certo para dentro.
Comece a alfinetar pelas laterias e prenda bem toda a volta.

Costure.

Vire pela abertura do forro.
O segundo modelo é um pouco mais elaborado, ele tem uma pala que deve ser costurada junto com o forro.
Essa bolsa é de moletom, com inspiração desta aqui de veludo.
Só que eu usei uma alça de algodão, dessas compradas prontas.
Este PAP se refere à bolsa de veludo, que tem as alças fixadas por mosquetes em ilhoses no acabamento superior da bolsa:
Com a bolsa virada para fora, posicione a pala no local em que deverá ser costurada.

Sobreponha o forro com o direito para dentro, alfinete e costure.

As camadas devem ser todas costuradas juntas.
Depois é só virar pela abertura do forro.

Para a bolsa de moletom eu coloquei as alças nos lugares em que ficariam na bolsa e depois a pala por cima, só então vesti o forro para costurar.


Foi útil? Deixe um comentário.
Gostou? Deixe sua contribuição clicando no botão +1 aí embaixo.

PAP - broche feito de botão forrado

Uns dias atrás mostrei aqui uma bolsa de moletom cinza, eu achava que faltava alguma coisa nela.
Semana passada fui ao Taguacenter comprar umas coisas e me deparei com uma estampa de gatos bem linda, colorida, comprei.
Também, não há muito tempo atrás, comprei a matriz de bombe nº 40, pensando em usá-lo para fazer broches.
Desta união resultou o Passo a passo de hoje: Broche feito de bombe 40.


O começo eu já ensinei aqui.
O material para forrar os botões.

botões forrados.

O material para fazer os broches.

Corte a parte alta do fundo do botão, que seria usado para costurá-lo.

Com cola quente, cole o fundo de broche no meio do botão, cobrindo o  buraco feito anteriormente.

Que tal?

Gostou?
Colabora com o blog e aperta o botão +1 aí embaixo.


27 de agosto de 2011

Porta pinceis de maquiagem

Atendendo a solicitação de uma amiga, fiz este porta pincel de maquiagem.
Ele é de gorgorão de onça e forro de tricoline.

Tem lugar para 14 pinceis:

Série tecidos para bolsas - tafetá / cetim / veludo


Continuando a série sobre tecidos para bolsas, vou falar hoje sobre tecidos especiais, como cetim, tafetá e veludo.
No 2º post da Série, falei sobre a forma de construção dos tecidos e sua composição, já incluídos os ligamentos tipo tafetá e cetim.
Hoje vou falar só dos tecidos propriamente ditos.

Cetim: 
Tecido de aspecto brilhante, absolutamente liso, obtido a partir de flutuações dos fios de urdume. O Cetim pode ser de qualquer matéria-prima, com densidade elevada de fios no urdume. O toque é em geral fluido e macio, e o aspecto brilhante. Todos os cetins podem ser brilhantes, semi-opacos ou opacos, conforme a matéria (acetato, viscose, poliéster, etc.), a torção ou o tratamento do acabamento (como na seda). 
Alguns tipos mais comuns:
Cetim Boucol: semelhante ao cetim duchese porém mais pesado, muito utilizado pela alta costura e para vestidos de noivas. 
Cetim Changeant: Cetim com duas cores na trama, desenho "Gros de Tours". O importante é que cada trama se coloque na posição certa e sempre a mesma. Assim, conforme a posição da pessoa olhando o tecido, ele aparece com uma cor diferente. 
Cetim Charmeuse: cetim leve com bom caimento, brilho intenso e uma trama suplementar no avesso, urdume em grége, acetato, viscose ou poliéster, e com 2 tramas, uma delas em crepe e que aparece somente no avesso. 
Cetim Duchese: cetim mais pesado que o Charmeuse, também com brilho mais intenso e um excelente caimento, geralmente em seda, acetato oupoliéster , com fio tinto, torção "Organsin". Cetim de qualidade, destinado à Alta Costura, muito utilizado em vestidos de noivas. 
Cetim Peau D'Ange ou Cetim Vison: cetim mais encorpado que o cetim comum, com bom caimento e brilho discreto, muito utilizado para becas, decoração (toalhas de mesa , cortinas, etc.). Na tradução do francês Peau D'Ange quer dizer pele de anjo. 
Cetim Zebeline: cetim pesado com um brilho acetinado, avesso em crepe, bem encorpado, sendo perfeito para os modelos evasê. 


Meus modelos em cetim:
Postagem original.

Postagem original - com esquema.

Postagem original - com molde da bolsa.






Tafetá:
Tecidos lustrosos e armados, de seda ou poliéster, de trama finíssima, superfície lisa, textura regular e leve nervura no sentido da trama, utilizados principalmente para forro. É um dos mais antigos tecidos conhecidos pelo homem sendo feito originalmente em seda. Na língua persa, a palavra entrelaçar ou tecer, se dizia "Taften" e depois "Taftah". Esta terra, juntamente com a China, é considerada um dos berços da seda e dos tecidos. Depois este nome se transformou em cada época e em cada língua. 

Meus modelos em tafetá:

Postagem original.

Postagem original.



Veludo:
 Veludo: É um tecido muito antigo, criado na Índia. Depois apareceu na Europa, após ter sido importado durante muito tempo. Nos séculos XIV e XV foi fabricado exclusivamente na Itália, onde se tornou famoso nas  cidades de Veneza, Florença, Gênova, Milão.
O veludo é um tecido que apresenta no lado direito um aspecto peludo, macio e brilhante; estes pêlos são curtos, densos, de pé, e fazem parte da estrutura do tecido.
Existem 6 tipos principais de veludo, conforme o processo de fabricação do tecido:

Veludo Simples Peça: Produzido em teares especiais onde o ferro entra na cala para formar um efeito de "bouclê", com os fios de urdume. Na retirada do ferro, estes fios são cortados ou não, conforme o tipo de veludo desejado. é produzido de três formas:
Veludo Frisado: O ferro não tem faca e por esse motivo não corta o bouclê, que dessa forma é oco, macio e muito bonito.
Veludo Coupé (cortado): O ferro possui na extremidade uma pequena faca (como uma lâmina de barbear), a qual corta todo o bouclê, antes da retirada do ferro. Isso produz o pêlo do veludo. Vários tipos e tamanhos de ferros são utilizados para variar e enriquecer os mais diversos tipo de veludos.
Veludo Ciselé: Ele reúne os 2 tipos de pêlos ou seja: o bouclê e o coupé e assim, por exemplo, em jacquard, pode se harmonizar vários efeitos de pêlos bouclê e cortados de diversos aspectos e tamanhos. O jacquard tem dessa forma um alto-relevo e uma vida muito rica e delicada.

Veludo Dupla Peça: Também produzido com teares especiais, é considerado atualmente como sendo o veludo tradicional. Ele é principalmente utilizado para vestidos, estofamentos, etc. A característica principal deste tear é produzir 2 tecidos ao mesmo tempo.Por esse motivo ele possui 3 rolos de urdume ou seja: 2 de fundo (um para cada tecido) e o terceiro urdume, comum para os dois primeiros, vai e vem entre eles, para formar o fio de pêlo. Estes fios são cortados no tear para formar os pêlos do veludo. O tear pode trabalhar com uma lançadeira, ou melhor, com duas superpostas (uma para cada tecido).

Tipos de veludo:
Veludo de Trama (Velours Trame / Velours D'Amiens): Veludo feito em teares convencionais. Em primeiro lugar é feito um tecido normal, com desenho tipo reps, a base de flutuação de trama. Estas flutuações de trama são cortadas no acabamento, com uma máquina especial e, assim, se formam os pêlos do tecido. Eles podem ter um aspecto liso ("peau de taupe") ou cotelê.("corduroy").
Pelúcia : Veludo comum, tipo dupla peça, mas com pelos muito compridos e destinados a imitar os pelos de vários animais (Existem 2 tipos: pelos em pé e pelos deitados).


Falsos Veludos: Existem basicamente 2 (dois) tipos de falsos veludos:
Veludo Flocado: Falso veludo que atualmente podemos considerar como veludo, pelo aspecto obtido. Utiliza-se um tecido qualquer, de preferência algodão ou similar, em tafetá, o qual é introduzido em uma máquina que cola sobre o tecido uma camada de pêlos (Viscose, Acetato, Poliamida, Poliéster, etc.) O processo utilizado é eletrostático. A cola passada no tecido pode ser uniforme ou do tipo estampada, o que permite vários efeitos. Após, o tecido é polimerizado para firmar o pêlo sobre o tecido. Este é usado principalmente para estofamento, revestimento, decoração (pouco usado para vestidos, devido não ser poroso e um pouco rígido).
Gratté: Falso veludo feito a partir de tecido de malharia, o qual recebe um tratamento tipo flanelagem. O tecido é em geral de fio contínuo e recebe um acabamento com uma máquina cujos cilindros, guarnecidos de agulhas finas, arrancam os filamentos dos fios da superfície do tecido. Eventualmente ele pode receber uma passagem de navalhadeira para igualar os pêlos.


Meus modelos em veludo:


Postagem original e molde da bolsa.
Postagem original - com molde da bolsa.
Postagem original.


Outros tecidos especiais (para bolsas):
Linho:

Postagem original.

Fustão
Postagem original.

Moletom
Postagem original.

Twide
Postagem original.


Fontes:
http://www.casapinto.com.br/glossario.asp

Fui útil?
Deixe um comentário.
Gostou?
Colabora com o blog e aperta o botão +1 aí embaixo.

Pin It button on image hover